Pé Torto Congênito

 

Qual a causa do Pé Torto Congênito?

Os pais se sentem inicialmente culpados pela deformidade que a criança apresenta nos pés ao nascer. Entretanto, os médicos acreditam que este problema não foi causado por nada que os pais tenham feito ou deixado de fazer durante a gestação materna. A causa do Pé Torto não é exatamente bem esclarecida pelos médicos. Sabemos que o problema é mais comum em determinadas famílias. A incidência de crianças nascidas com pé torto é de 1 entre 1000 nascimentos. A chance de se ter um segundo filho com mesmo problema é de 1 em 30. Por isso não há necessidade dos pais se sentirem culpados pelo problema que a criança apresenta ao nascer.

Fig. 1: Pé Torto Congênito

Qual o futuro da criança que apresenta Pé Torto?

A criança que é tratada corretamente pelo método desenvolvido pelo Dr. Ponseti, conhecido professor norte-americano, apresenta ótimos resultados funcionais, próximos da normalidade. Entretanto alguns estigmas da doença vão persistir mesmo após o tratamento: 1 – O tamanho final do pé de uma criança com Pé Torto é sempre menor que um pé normal, assim como a panturrilha apresenta também um menor diâmetro. Entretanto, encurtamentos da perna não são significativos. 2 – Estudos a longo prazo, em pacientes tratados pelo método de Ponseti, demonstram que estas crianças não terão dificuldades para participar de atividades físicas regulares no futuro.

Como é realizado o método de Ponseti?

As crianças são submetidas a manipulações suaves e a colocação de aparelhos gessados longos, trocados semanalmente pelo médico assistente. As correções são progressivas e graduais, havendo normalmente a necessidade do uso de 6 à 10 aparelhos gessados. Após este período inicial, a criança é submetida a pequeno procedimento cirúrgico, com o objetivo de realizar o alongamento do tendão de Aquiles.

 

Fig. 2: Manipulação da articulação do Tornozelo

Fig. 3: Manipulação da articulação do Tornozelo

Fig. 4: Estágios do Método de Ponseti

O que acontece após a cirurgia?

Após 3 semanas o gesso é retirado no ambulatório e os pais são encaminhados para a confecção de uma órtese, que em nosso meio é conhecida como órtese de Dennis-Brown.

Fig. 5: Órtese de Dennis-Brown

Por quanto tempo a órtese vai ser utilizada?

Nos primeiros três meses subsequentes da cirurgia a órtese deve ser utilizada 23 horas por dia. Após este período inicial, a órtese deve ser utilizado apenas no período noturno, até a criança completar 2 anos de idade.

É importante o uso da órtese de Dennis-Brown?

Estudos a longo prazo demonstram que a recidiva da deformidade está intimamente relacionada ao não uso correto da órtese.

Dr. Celso Belfort Rizzi Junior

Celso B. Rizzi Jr.

Autor: Celso B. Rizzi Jr.

Experiência profissional na especialidade desde 1994. Fellowship Hands on no Shrinners Children Hospital em Los Angeles por 1 ano. Especialista por 5 anos na Rede Sarah. Especialista por 15 anos no INTO. Atualmente, coordena o Setor de Ortopedia Pediatrica, sob a chancela do STO do Hospital dos Servidores.

  • Michelle Lola

    Boa noite hj torci meu meu pé e meu tornozelo virou dando um estalo audivel. desde então esta doendo muito se coloco no chão. o que pode ter acontecido?

    • Jacqueline Peres

      Olá não sou médica mais venho sofrendo com meu tornozelo á a mais de um ano então o que te aconselho é procurar um medico o quanto antes e tentar fazer uma ressonância pra ver se está tudo … uma dica importante se o médico pedir repouso faça pois caso não siga certinho pode piorar e muito como foi no meu caso.

      Procure um médico.
      Abraços e melhoras.

  • yun

    oi, eu sou yun, tenho 18 anos e torci meu tornozelo há dois meses atrás
    fui no ortopedista, usei gesso por 10 dias e quando tirei, ainda estava com edema e bastante inchado
    demorei um pouco para ir lá de novo, pois é muito longe da minha casa; quando eu fui, o médico que me atendeu no dia da lesão não estava lá, então não fui atendida… cheguei a ir de novo, mas a mesma coisa se repetiu (saúde pública sucks)
    acabou que meu pé foi melhorando sozinho nesse meio tempo, com gelo e água quente; já até consigo andar rápido e descer degraus!

    mas o problema é que ele não desincha… o fato é que era pra eu ter engessado o pé de novo pra ele melhorar certinho, mas por causa dos desencontros com o médico, não deu
    tenho medo desse inchaço poder ser permanente… o que eu faço? devo voltar lá e engessar de novo? socorro, tô começando a ficar angustiada de comparar meus pés todo dia ):

  • Gustavo Teixeira

    Muito legal, estou começando a sentir as dores e estou olhando muito antes de procurar um médico, tem esse artigo que aprendi muito: https://www.blog.sachets.com.br/artrose-e-artrite-reumatoide/
    abraços

  • Vagda Borges

    Olá meu nome é Vagda, tive uma fratura por stress há 03 meses, fiz tratamento com a bota, estava consolidada usando derrepente senti e escutei um CREC, sim a fratura por stress quebrou atingindo o 4 dedo, agora estou esperando sair o edema para realizar cirurgia.

  • Sabrina Fagundes

    Meu irmão sente dor na hora em que ele chuta a bola, o que pode ser?? Geralmente na parte do peito do pé