Quando falamos de câncer ósseo estamos descrevendo um tumor maligno que destrói o tecido ósseo saudável. Nem todos os tumores ósseos são malignos e, de fato, tumores não malignos (benignos) são muito mais comuns do que os tumores malignos. O câncer nos ossos pode ser dividido em em primário e secundário: o primeiro, o câncer ósseo primário se forma nas células dos ossos e o câncer ósseo secundário começa em outra parte do corpo, eventualmente se espalhando para os ossos (metástase).

Nos Estados Unidos, onde tem-se uma estimativa bastante fiel, até o final de 2016, foram relatados por volta de 3.300 novos casos e 1.490 mortes por câncer nos ossos e articulações.

As taxas de sobrevivência de um câncer ósseo varia dependendo de uma infinidade de fatores, incluindo o tipo e o estágio do câncer. De acordo com a Universidade de Rochester, no Reino Unido, somando todos os tipos de câncer nos ossos, combinados, a taxa de sobrevivência para 5 anos é de cerca de 70%.

cancer osseo tipos
Clique para ampliar

Tipos de câncer nos ossos

O tumor ósseo primário pode ser dividido em um tumor benigno; ou ser considerado um câncer (“maligno”). Abaixo estão alguns dos tipos mais comuns de câncer nos ossos:

Tumores ósseos benignos

Os tumores benignos podem ocorrer devido a alterações de desenvolvimento, traumas, infecções, inflamação ou crescimento anormal de tecido (neoplásico); Eles são mais comuns em pessoas com menos de 30 anos.

Exemplos de tumor ósseo benigno incluem o: 

  • osteoma,
  • osteoma osteoide,
  • osteocondroma,
  • osteoblastoma,
  • encondroma,
  • tumor ósseo de células gigantes,
  • cisto ósseo aneurismático
  • e a displasia fibrosa óssea.

Um pouco sobre os tipos mais comuns de tumor ósseo benigno:

  1. Osteocondroma é o tumor ósseo benigno mais comum. É mais frequente em pessoas com menos de 20 anos. osteocondroma
  2. Tumor de células gigantes é um tumor benigno, afetando tipicamente a perna (os tipos malignos deste tumor são incomuns).
  3. Osteoma osteoide é um tumor ósseo, que freqüentemente ocorre em ossos longos, e mais comumente por volta dos 20 anos.
  4. Osteoblastoma é um tumor que ocorre na coluna vertebral e ossos longos, principalmente em adultos jovens.
  5. Encondroma aparece geralmente nos ossos da mão e dos pés. Muitas vezes não tem sintomas. É o tipo mais comum de tumor nas mãos.

Câncer ósseo primário

Exemplos de câncer ósseo primário incluem:

  • osteosarcoma,
  • condrossarcoma,
  • sarcoma de Ewing,
  • histiocitoma fibroso maligno,
  • fibrossarcoma
  • e outros sarcomas.

O mieloma múltiplo é um câncer do sangue que pode incluir um ou mais tumores ósseos. Determinados tipos de câncer nos ossos são encontrados em ossos específicos, por exemplo, teratomas e tumores de células germinativas são freqüentemente localizados no cóccix.

Osteossarcoma

O osteossarcoma é o tipo mais comum de câncer ósseo. Geralmente desenvolve-se em crianças e adultos jovens. Depois da leucemia e dos tumores cerebrais, o osteosarcoma é o terceiro câncer mais comum em adolescentes.

osteossarcoma perna
O osteossarcoma começa nas células formadoras de ossos. Se caracteriza pelo crescimento da massa óssea e geralmente ocorre nos ossos longos dos braços e pernas, mas pode ocorrer em qualquer osso.

O Sarcoma de Ewing geralmente se desenvolve na pelve, osso da canela ou osso da coxa. Ele afeta mais comumente adolescentes e adultos jovens.

Condrossarcoma

O Condrosarcoma é um tipo de câncer nos ossos que geralmente se desenvolve em adultos. Ele começa nas células da cartilagem e se move para os ossos.

A perspectiva para um paciente com câncer ósseo maligno depende principalmente se ele tem metástase (quando se espalha para outras partes do corpo). Se o câncer está localizado (não se espalhou) o prognóstico é geralmente bom.

condroarcoma laringe

Câncer nos Ossos Secundário (metastático)

Em inúmeros casos, o câncer nos ossos se espalhou de qualquer outra parte do corpo, não tendo sido iniciado no sistema músculo esquelético. A isso chamamos de câncer metastático. Mesmo que esse tipo de câncer se espalhe para o osso, ele não é considerado um “câncer ósseo” porque as células tumorais são do câncer primário.

Por exemplo, uma pessoa com câncer de pulmão, que se espalhou para o osso é considerado como tendo câncer de pulmão com metástase para o osso – não câncer de pulmão e câncer ósseo.

Os cancros que mais normalmente se propagam aos ossos incluem:

  • Câncer de mama
  • Câncer de próstata
  • Câncer de pulmão

metástase ossos

Sintomas de câncer nos ossos

O sintoma mais característico do câncer nos ossos definitivamente é a dor. O paciente inicialmente sente dor na área afetada, que com o tempo piora e continua. Em alguns casos, a dor é sutil, e o paciente pode não se consultar com um médico por vários meses.

A progressão da dor com o sarcoma de Ewing tende a ser mais rápida do que na maioria dos outros tipos de câncer nos ossos. Tipicamente, a dor de câncer nos ossos é profunda, irritante e tem um caráter permanente.

E também:

  • Pode haver inchaço na área afetada
  • Muitas vezes o osso vai enfraquecer, resultando em um risco significativamente maior de fratura
  • O paciente pode perceber que perde peso involuntariamente
  • Uma massa (nódulo) pode ser sentida na área afetada
  • Embora muito menos comum, o paciente também pode ter febre, calafrios e/ou suores noturnos

Causas do câncer ósseo

Ninguém sabe quais são as causas específicas do câncer nos ossos, mas o desarranjo celular, como em todos os tipos de tumor é o motivador da doença. Pacientes com doenças inflamatórias crônicas (a longo prazo), como a doença de Paget, têm um risco significativamente maior de desenvolver câncer ósseo ao longo da vida. No entanto, ninguém pode explicar por que uma pessoa manifesta câncer nos ossos, enquanto outros não.

Os seguintes grupos de pessoas têm maior risco de desenvolver câncer ósseo:

  • Crianças, adolescentes e adultos muito jovens – a maioria dos casos de câncer ósseo ocorre em crianças ou jovens adultos com idade até 20
  • Doentes que receberam radioterapia
  • Pessoas com história de doença de Paget
  • Pessoas com parentes próximos (pais ou irmãos) que tiveram câncer ósseo
  • Indivíduos com retinoblastoma hereditário – um tipo de câncer de olho que mais comumente afeta crianças muito jovens
  • Pessoas com síndrome de Li-Fraumeni – uma condição genética rara
  • Bebês nascidos com hérnia umbilical

Localização do Câncer Ósseo

Pode-se dizer que o joelho é o local mais comumente afetado pelo câncer ósseo. Uma proporção de até 50% dos tumores malignos se localizam nessa região. Os motivos ainda estão sendo estudados, mas o indicativo é importante, pois sabendo-se que essa região é a de maior incidência e que os tumores ósseos são mais comuns em crianças e adolescentes, dores no joelho nos jovens, apesar de todas as motivações possíveis (lesão, trauma…), devem ser investigadas com olhar também oncológico.

Diagnóstico de câncer ósseo

Um médico pode solicitar um exame de sangue para descartar outras possíveis causas dos sintomas do paciente. O paciente será então encaminhado a um especialista em câncer nos ossos, o oncologista ortopédico.

Os seguintes testes de diagnóstico podem ser solicitados:

  1. Varredura óssea: um líquido com material radioativo é injetado na veia. Este material é infiltrado no osso, especialmente em áreas anormais, e lido por um scanner.
  2. Tomografia computadorizada: este exame é comumente usado ​​para ver se o câncer nos ossos se espalhou e para onde ele se espalhou.
  3. Ressonância Magnética: o dispositivo de ressonância magnética usa o campo magnético e ondas de rádio para criar imagens detalhadas do corpo, que neste caso, refere-se a um osso específico ou parte de um osso.
  4. Tomografia (PET Scan): uma tomografia PET utiliza radiação, ou imagens de medicina nuclear, para produzir imagens em cores 3-D dos processos funcionais do corpo humano.
  5. Raio-X: radiografias podem detectar qualquer dano que o câncer pode ter causado ao osso. Também pode detectar novas células ósseas que começaram a se formar em torno do tumor. Uma radiografia não fornece dados suficientes para um diagnóstico definitivo, mas pode ajudar o cirurgião ortopédico a decidir se outros testes são necessários.
  6. Biopsia óssea – uma amostra de tecido ósseo é extraído e examinado para células cancerosas. Esta é a maneira mais confiável para diagnosticar câncer ósseo. A biópsia com agulha central usa uma agulha longa e fina que infiltra no osso para remoção de uma amostra. Já em uma biópsia comum faz-se uma incisão na área óssea alvo e remove-se cirurgicamente uma amostra de tecido.
câncer nos ossos tomografia
Uma massa anormal, como o osteossarcoma, pode ser detectado em exames de imagem

Estágios do câncer ósseo

O câncer de osso tem diferentes estágios que descrevem seu nível de avanço.

  • Estágio 1: o câncer não se espalhou para fora do osso. O câncer não é agressivo.
  • Estágio 2: igual ao estágio 1, mas é um câncer agressivo.
  • Estágio 3: tumores existem em pelo menos dois lugares no mesmo osso.
  • Estágio 4: o câncer se espalhou para outras partes do corpo.

Tratamento do câncer ósseo

O tipo de tratamento para o câncer ósseo depende de vários fatores, incluindo o tipo de câncer nos ossos, onde ele está localizado, quão agressivo ele é, e se ele está localizado ou se espalhou.

Existem três abordagens para tratar um câncer ósseo:

  • Cirurgia
  • Radioterapia
  • Quimioterapia

Cirurgia para Câncer nos Ossos

O objetivo da cirurgia é remover o tumor (se possível completamente) e parte do tecido ósseo que o rodeia. Se alguma porção do câncer for deixado para trás depois de remover-se cirurgicamente o tumor, ele pode continuar a crescer e eventualmente se espalhar.

Algumas intervenções cirúrgicas ocorrem sem ter que se amputar o membro. O cirurgião pode utilizar algum osso de outra parte do corpo para substituir o osso perdido (enxerto ósseo), ou um osso artificial pode ser utilizado. Em alguns casos, no entanto, a amputação de um membro pode ser necessária.

Radioterapia para Câncer nos Ossos

A radioterapia é comumente usada no tratamento de muitos tipos de câncer. Nela, são usados feixes de raios-X de alta energia ou partículas (radiação) para destruir células cancerosas. A radioterapia funciona danificando o DNA dentro das células tumorais, destruindo sua capacidade de se reproduzir.

A radioterapia pode ser usada por diferentes razões:

  1. Cura total: para curar o paciente, destruindo completamente o tumor.
  2. Para aliviar os sintomas: a radioterapia é frequentemente utilizada para aliviar a dor em tipos de câncer ósseo mais avançados.
  3. Radioterapia neo adjuvante (antes da cirurgia): se um tumor é grande, a radioterapia pode diminuí-lo, tornando-o menos nocivo e mais fácil de removê-lo cirurgicamente.
  4. Radioterapia adjuvante: administrada após a cirurgia. O objetivo é eliminar as células cancerosas que ficaram para trás.
  5. Combinação terapêutica (radioterapia combinada com outro tipo de terapia): em alguns casos a radioterapia combinada com a quimioterapia é mais eficaz.

Quimioterapia

A quimioterapia envolve o uso de produtos químicos (medicamentos) para tratar a doença. Sendo bem específico, o objetivo da quimioterapia é a destruição das células cancerosas. A medicação citotóxica evita que as células cancerosas se dividam e cresçam.

Em geral, a quimioterapia tem como objetivos:

  • Remissão total: para curar o paciente. Em alguns casos, a quimioterapia, por si só, pode eliminar o câncer completamente.
  • Auxiliar numa terapia de combinação: quimioterapia pode ajudar outras terapias, como a radioterapia ou cirurgia, a terem resultados mais eficazes.
  • Atrasar / prevenir a recorrência: quando a quimioterapia é utilizada para prevenir o retorno de um câncer. É mais frequentemente utilizado após um tumor ser removido cirurgicamente.
  • Retardar a progressão do câncer: usado principalmente quando o câncer está em estágios avançados e uma cura é improvável. A quimioterapia pode retardar o avanço do câncer e permitir mais tempo de vida.
  • Aliviar os sintomas: também mais freqüentemente usado para pacientes com câncer avançado.

Para câncer nos ossos, procure um oncologista ortopédico. Clique aqui.

ORTOPedia BR

Autor: ORTOPedia BR

Maior portal de busca de ortopedistas do Brasil. Pesquise nossa listagem de especialistas. Só aqui você encontra todas as informações mais relevantes sobre o mundo da ortopedia e especialistas em joelho, ombro e cotovelo, pé, coluna...

  • cesar

    Excelente artigo sobre o assunto. Muito esclarecedor.

  • Leonardo Carneiro

    aqui no brasil, onde fazem? tenho 168 e queria passar de 1,75, que, sabe chegar a 1,80