Alongamento ósseo com finalidade estética é um tema controverso. Uma pequena parte da população saudável não é feliz com sua estatura final, podendo ser psicologicamente afetada por esse incômodo social. Pessoalmente não encorajo este tipo de procedimento, já que existem inúmeros problemas e um longo tempo de recuperação. O processo é longo e pode evoluir com complicações médicas.

Quem é candidato a esse tipo de alongamento?

Ser maior de 18 anos, ter uma avaliação psicológica prévia. Não existe regra básica para pré dizer o quanto é possível atingir no alongamento ósseo.

É coberto pelo plano de saúde?

Normalmente esse tipo de procedimento não é coberto pelas operadoras de saúde, funciona como uma cirurgia plástica.

Quanto posso ganhar de altura?

Recomenda-se não ultrapassar os 5 cm em cada osso alongado, pois os riscos aumentam progressivamente.

Avaliação psicológica?

Sugiro antes do procedimento uma avaliação psicológica, com o objetivo de saber se a pessoa esta preparada para os efeitos emocionais do procedimento. Deve ser realizadoo com um profissional experiente que também entenda o objetivo da cirurgia.

Quanto custa um procedimento?

Os custos envolvem hospital, equipe médica e material. Isso deve ser discutido diretamente com o médico reponsável, pois envolve uma quantia considerável e que pode aumentar caso surjam complicações.

Quais ossos podem ser alongados?

De preferência os dois femures, com alongamento pré determinado de 5 cm. Após a conclusão e a recuperação completa, pode ser planejado em outro passo o alongamento dos ossos da tíbia, para mais 5 cm.

Como é feito o alongamento ósseo?

Através de um corte no osso e instalação de um fixador externo ou de uma haste intramedular, por dentro do osso, se dá inicio ao alongamento. Sete dias após a cirurgia é iniciado o processo propiamente dito do alongamento ósseo em uma velocidade de 1mm ao dia, nem maior e nem menor, para se evitar complicações.

 

Figura 1 – Alongamento ósseo através de haste intramedular.

O que acontece após a cirurgia?

Fisioterapia deve ser rotina para o paciente com alongamento ósseo, inicialmente deve ser diário para o treino de marcha com muletas e manutenção do arco de movimentos do paciente. Visitas médicas devem ser semanais no inicio do alongamento.

Figura 2 – Fixadores Externos instalados nas pernas.

 

O que acontece após a fase do alongamento?

Esta fase deve durar em torno de 57 dias. ( 1mm x 50 dias = 50 dias + 7 iniciais ). Retira-se então o fixador externo. Após esse periodo vem a fase da formação do regenerado ósseo e da sua consolidação. O tempo estimado total é de 200 a 250 dias para 5 cm de alongamento ósseo.

 

 

Figura 3 – Fisioterapia

Complicações?

Várias complicações em potencial estão associadas ao alongamento ósseo. Normalmente discutidos pessoalmente, mas posso relatar as mais frequentes: não consolidação óssea, discrepância de comprimento entre as pernas, lesão neurológica, contratura e encurtamento miotendinoso, rigidez articular … Algumas permanentes, outras podendo ser revertidas com novo procedimento cirúrgico.

 

Figura 4 – Cicatrizes decorrentes do uso de fixadores externos para alongamento ósseo.

 

Em conclusão, alongamento ósseo cosmético é difícil, caro e penoso. Inicialmente não encorajo aos pacientes por esse método. Entretanto, para um pequeno grupo de bem orientados, o ganho final funcional e psicológico pode ser bem valioso.

Celso B. Rizzi Jr.

Autor: Celso B. Rizzi Jr.

Experiência profissional na especialidade desde 1994. Fellowship Hands on no Shrinners Children Hospital em Los Angeles por 1 ano. Especialista por 5 anos na Rede Sarah. Especialista por 15 anos no INTO. Atualmente, coordena o Setor de Ortopedia Pediatrica, sob a chancela do STO do Hospital dos Servidores.

  • Márcio Albino

    quais parte dos membros é menos traumatico para fazer o procedimento? Fêmur ou tíbia?